caderno casa & cia

matéria publicada no caderno casa & cia – jornal zero hora

dormitório infantil
data de publicação: 09 de outubro de 2013

confira o link para a matéria e vídeo com entrevista no site do jornal: http://tinyurl.com/lar4xsu ou clique nas imagens abaixo.

 

Espaço para brincadeira e diversão: as necessidades de um dormitório infantil

Aproveite que o Dia das Crianças, 12 de outubro, está chegando e planeje o quartinho do filho com recantinho para diversão sem abrir mão do aconchego e da praticidade

Ana Carolina Bolsson

Com a proximidade do Dia das Crianças, buscamos em dois quartinhos infantis – um de uma bebê de quase dois anos e o outro de um menino de quatro – projetos que comportem, além de aconchego e conforto, uma área bem característica para o brinquedo dos crianças. Nesses recantos, mesmo pequenos, a ideia é que eles se divirtam, reúnam amiguinhos e se desenvolvam com segurança e fantasia. Não é o mundo ideal para qualquer pai e mãe? Um sonho de criança inspirou a arquiteta Thais Lenzi Bressiani, do Red Studio, a desenvolver o projeto de interiores do quarto da própria filha há dois anos. Quando criança, a tristeza ao desmontar a casinha de brinquedo por falta de espaço fez com que a profissional projetasse no apartamento em que mora com o marido no bairro Independência, na Capital, uma estrutura permanente e de igual finalidade para a Mila, de um ano e dez meses. E, principalmente, à prova de frustrações.

– Sempre quis criar uma área exclusiva para que ela pudesse brincar. Esse recanto em formato de casa ou toquinha já é muito utilizado por ela. No futuro, pode virar palco, estrutura para fantoche, abrigar uma caminha e o que mais ela quiser – explica.

Na ambientação, o fio condutor foi o papel de parede estampado comprado em Londres. Aplicado na parede principal, o produto determina a atmosfera delicada.

– Eu queria algo bem colorido, mas não com cores fortes e também que não fosse muito infantil. Aproveitei a ampla gama de tons do desenho e apostei nas candy colors em diversos elementos para um ambiente calmo, acolhedor e sem rigidez – conclui.

SUGESTÕES: planeje o quarto do filho com conforto e segurança
– Pense bem no layout do dormitório, preferencialmente estude possibilidades de ocupação de acordo com as fases da criança. Se o quarto é pequeno, prefira berços combinados com gavetas, trocador e bicama. Vários modelos viram cama e escrivaninha. Se o dormitório é grande, invista em mobiliário independente, no qual o layout muda com o tempo. O segredo é flexibilidade.
– Com cerca de um ano, o bebê começa a ensaiar os primeiros passos e precisará de espaço para brincar. Se possível, reserve um recanto para uma casinha, mesa com cadeiras ou palco. Conforme ele for crescendo, vai ocupando essa área de várias formas.
– Cuidado com o piso: laminados podem ser barulhentos, e carpete requer manutenção.
– Se usar persianas, a corda de acionamento deve ser curta para ficar fora de alcance.
– Nas paredes, prefira tinta atóxica. Algumas marcas têm produtos com esta característica.
– Fórmica e melamina são acabamentos resistentes que mantêm o quarto por mais tempo com cara de novo.
– Instale prateleiras baixas para fácil alcance de livros e brinquedos.
– Iluminação geral dimerizada deixa o quarto aconchegante. Abajures com níveis de iluminação ajudam a checar o bebê durante a noite sem correr o risco de despertá-lo.
– Ter uma prateleira sobre o trocador agiliza a tarefa e deixa fora do alcance os produtos utilizados. Quando o trocador for desativado, a prateleira organizará enfeites e outros adornos.
– Alguns bebês ficam agitados após oito meses e o uso do trocador se torna inseguro. Uma cama auxiliar pode ajudar na tarefa.
– Se possível, reserve um espaço de parede ou da porta para quadro negro ou quadro branco escolar. Enfim, um espaço para desenho.
– O branco não é regra. Móveis amadeirados claros, com cor, deixam o quarto exclusivo.
– Prefira puxadores embutidos, caso opte por modelos convencionais de formas curvas.
– Prefira uma poltrona de amamentação de linhas limpas, que se adapte ao resto da casa.
– Reformado, um antigo móvel ou peça da avó ou mãe dá charme especial ao dormitório e ainda valoriza a família e a história própria.

Fonte: arquiteta Thais Lenzi Bressiani

 

voltar